Cocegas na Serra

Olá Amigos, hoje contar uma história real que aconteceu comigo no ano de 2001.
Eu morava em um condomínio de vários prédios, por causa disso sempre tive um grande ciclo de amigos e amigas.
Certa vez, viajamos de férias para a casa de um de meus amigos na serra.
Éramos em 5 pessoas, sendo eu e mais um amigo o resto eram mulheres, que por sinal gatinhas. Vou descrever cada uma delas:
-Fernanda,25anos, cabelos morenos, pele clara, magrinha, muito sensível para cócegas no corpo todo, principalmente nos pés, que eram lindos, magrinhos, solas rosadinhas. Ela sempre andava de tênis como Keds e modelos esportivos sem meias, ou seja, tinha um chulezinho magnífico, aqueles de queijinho bem leve.
-Andréia, 22 anos, cabelos loiros, pele clara, falsa magra e gostava muito de ter pessoas mexendo em seus pés, fazendo massagem, carinhos ou até então cócegas, mas nem sempre conseguia, pois o cheiro que ele esalava era muito forte para certas pessoas, o que não era problema para mim. Ela só andava de Keds para cima e para baixa, festas, faculdade, shopping, mas ela tinha vários modelos diferentes, preto de lona, jeans, branco de couro…
-Bruna, 23 anos, loirão, quase 1,80m de altura, corpo de surfista, sempre sorridente, com um par de pés lindos com suas solinhas bem rosadinhas e lisas. Um encanto de mulher, que estava na viagem por minha causa.(segundo ela só estava indo conosco para poder ficar perto de mim.) Por sinal, ela viajou com apenas um par de Keds(sem meias) que já estava sendo usado desde o início da viagem.
Assim que chegamos na casa, fizemos as destribuições dos quartos. Como nós somos amigos de anos não tinha problemas de ficar misturado homens e mulheres. Fiquei no quarto com a Bruna e com a Fernanda e no outro ficou meu amigo, que se chama Roberto com a Andréia.
Fizemos um belo jantar e ficamos bebendo a noite toda até altas horas. Certa hora Andréia pediu para que eu fosse até o quarto com ela, pois ela já estava cansada e queria dormir mas tinha medo de ir sozinha até o quarto. Assim que chegamos ela já foi se deitando na cama e falando:
– Você pode tirar meu tênis por favor e depois apagar a luz e encostar a porta?
Na hora fiquei um pouco espantado com o que ela tinha me pedido mas ainda brinquei com ela:
– Tudo bem, mas se desmaiar por causa do seu chulé quem vai me socorrer?
-Ah para com isso, também não é assim né.
Então sentei na beirada da cama, ela colocou os pés em cima das minhas pernas e eu comecei a retirar o tênis dela. Um Keds de couro que nem branco era mais, já estava encardido… Quando comecei a desamarrar o cadarço reparei que ela já estava de olhos fechados, então me senti livre para poder cheirar aquele belo chulezinho maravilhoso. Quando retirei já senti aquele calor saindo lá de dentro com aqule aroma delicioso, fiquei logo de pau duro né, invitável, e ela ainda ficou abrindo os dedos para dar aquele alívio né… Quando eu já tinha tirado os dois pés e sentido aquele belo cheiro comecei a fazer leves cosquinhas em seus pezinhos. Ela ia se retorcendo, ficando com aquele sorrisindo no canto da boca. Foi quando ela acordou e disse:
– Da para você parar com isso que eu quero dormir!
– Claro, é que eu não resisti a esse cheiro.
Ela ficou rindo, depois puxou seus pés e colocou debaixo das cobertas e disse.
– Pode apagar a luz e fechar porta por favor.
Então sai do quarto e me dirigi para sala onde estavam as demais pessoas da casa. No meio do caminho eu estava escutando uma gritaria mas eu não conseguia entender direito o que passava.
Quando chego na sala de tv me deparo com uma cena inacreditável e fora do sério. Fernanda deitada no sofá de barriga para baixo, com os pés em cima do braço do sofá, a Bruna estava sentada sobre as pernas da Fernanda, impedindo qualquer movimento dela, o Roberto montado nas costas dela tentando travar os braços . No meio daquela confusão a Bruna berrou para mim:
– Vem ajudar agente rápido!
-Tá, mas o que eu tenho de fazer?
– Eu vou segurar os pés, ai você tira o tênis que ela vai receber uma tortura de cócegas por não respeitar agente!
A confusão toda começou com a Fernanda mudando toda hora o canal que a galera estava assistindo. Por isso os dois resolveram tortura-lá para ver se ela aprende e por minha sorte maior eu vou participar e ainda no melhor setor, o pés! E eu ainda iria retirar os tênis dela, muita sorte em uma noite só não acham?
Pois então na hora que ia começar a Bruna exclamou:
– Calma ai, antes de tirar, procura alguma coisa que agente possa ir torturando bem devagar para ela sofrer bastante.
Fui até o banheiro e peguei meu pincel para barbear.
Comecei a tirar bem lentamente, só que ela se mexia demais, então tive que ser rápido para tirar. Para minha surpresa ela estava de meias, estilo soquete sabe, de algodão só que bem fininha e por causa do tempo que ela estava usando, estava um pouco encardida, mas só no formato do pé dela, e com um chulezinho espetacular. Primeiro só fiquei passando meu dedo para cima e para baixo bem devagar naquelas solinhas…
Ai ela começou a gritar:
– Me soltem, se vocês fizerem isso ei vou fazer xixi nas calças! Parem por favor, eu juro que numca mais faço isso, é sério, parem!!!!
Bruna respondeu:
– Quem mandou você brincar com agente, agora segura o tranco ai!
Foi quando a Bruna pediu para trocarmos de lugar que ela queria ser a torturadora. Bruna tem grandes unhas e um dom para fazer cócegas que ninguém imagina.
Bruna começou tirando as meinhas e ironizando com o cheiro:
– Hum, esse cheirinho me lembra alguma coisa. Fê você conhece a história do ratinho que saia da toca toda noite para roubar queijo?
– Não!! Para com isso por favor!!!!!
– Então vou te contar, mas tem que prestar bastante atenção hein!
Fernanda indignada se debatia mas de nada adiantava.
Bruna passava suas unhas bem lentamente nas pobres solinhas de Fernanda…
– O ratinho sai da toca bem devagarzinho em direção ao queijo.( nessa hora Bruna arranhava os pés da Fê como se estivesse coçando alguma coisa.)
– Hahahahahahaha! Pare eu já disse! Hahahahaha
E Bruna sem dar trégua continuava a sua tortura.
– Agora Fê, segure firme que a tortura vai começar!!!
– Ahahahhahahah!!! Como assim começar, hahahahahha, para mim já tinha acabado, hahhahahahahah!!!
– Acabado? Tá só começando!!!
Agora Bruna segura com uma das mãos os dois dedões e começa a deslizar as unhas em toda sola da Fernanda.
– Por favor Bruna,hahahahahhaha, pare com isso!! Não aguento mais!!! Hahahahahahahhahahaahahahahahahahahahahahahah
Bruna pede para que eu segure os calcanhares dela contra o braço do sofá. Ai começou a dedilhar toda a sola dela com mais velocidade, de várias formas e jeitos, para cima, para baixo, nos dedos, no calcanhar, na parte superior, na curva do pé…
– Bruna PARE AGORA OU EU VOU MORRER!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Então Bruna, por ser muito amiga de Fernanda e saber que aquela situação era horrível resolveu parar.
– Só estou parando porque eu sei o quanto é ruim sentir cócegas no pé, você sabe que se tivesse sido comigo, eu estaria morta agora né.
– Pode deixar que vai ter troco! Dizia Fernanda indignada.
– Olha o rancor Fê, não leva a nada hein.
Fernanda foi para o quarto revoltada com agente, mas tudo bem, amanhã quando ela acordar vai ficar tudo bem.
Roberto também estava cansado e foi dormir.
Só sobrou eu e a Bruna, conversando, vendo o sol nascer e acabamos ficando juntos até o fim da viagem.
Na hora que nós íamos deitar, Bruna perguntou se não era melhor agente ficar em um quarto só agente, pois a casa tinha quartos de sobra. Então decidimos ficar no último quarto sozinhos, que para meu delírio era o mais isolado, ou seja, eu poderia ficar torturando ela sem ninguém escutar seus gritos.
Terminamos de trazer nossas coisas do outro quarto, fui no banheiro e quando eu voltei, Bruna já estava deitada de roupa e tudo transversalmente na cama. Ai eu disse:
– Ué, já ta indo dormir?
– To morta, já apaguei! Com um ar irônico.
– Ah é, então se você tiver apagada mesmo, não vai sentir as cosquinhas que eu vou fazer em você!
Na mesma hora ela se virou e disse:
– Você ta achando que eu sou igual a Fernanda? Eu nem sinto cócegas. E se virou novamente na mesma posição e ficou com um sorrizinho escondido.
– Então tá bom, quer dizer que se eu tirar esse seu Kedzinho lindo aqui, com esse aroma delicioso, e começar a passar meus dedos em suas solinhas você não vai nem se mexer?
Ela nem respondeu, só mexeu a cabeça afirmando que sim. Para meu delírio, mais um pouco de cócegas, pés e chulé na mesma noite!
O modelo que ela usava era um Keds branco de lona, um pouco encardido, só mostrando o formato superior dos pés dela, principalmente nos dedinhos onde estava mais sujo. Comecei tirando bem lentamente, e ela só ia enfiando cada vez mais a cabeça no travesseiro, o que era um sinal de que estava desposta a sentir cócegas.
Quando consegui tirar o keds já foi subindo aquele aroma, e meu pau endurecendo de novo, aquelas solinhas um pouco rosadinhas e um pouco amareladas, não resisti, tive que começar a cair de língua. Lambia entre os dedos, passava a língua de uma forma que ela já estava ficando louca! Mas eu queria mesmo era começar a fazer cócegas séria nela. Me posicionei melhor para que as pernas dela ficassem sem chance de mexer, foi quando ela disse:
– Tá vendo como eu não sou como a Fê, você ficou ai fazendo cócegas e eu nem senti!
– Mas eu ainda nem comecei, eu só estava tirando seu tênis e fazendo o reconhecimento da área.
– Ah então perdeu viagem, porque eu já to com sono.
– Então espera que eu vou te acordar agora!
– Não, para!!! Hahahahahahahahaha
Foi quando eu comecei a tortura coçando a solinha com as unhas, ela se retorcendo toda, gargalhando:
– Ai, eu não vou agüentar, para, hahahahhahahahahaha!!!!!
– Tictictic, você não disse que era diferente da Fê?
– Hahahahahhaha, eu achei que comigo você ia pegar leve! Hahahahahhahahahahahhahahaahahahahahahahahahaahah
– Com você é ainda pior! Eu tenho mais intimidade para fazer o que o quizer!
Depois comecei a usar o próprio keds dela em suas solas. Primeiro fiquei passando a parte do calcanhar onde coloca o pé, bem devagarzinho, depois tirei o cadarço e comecei a entrelaçar ele entre os dedos dela, e ia puxando bem lentamente, isso fazia ela ficar louca.
Após meia hora de tortura comecei a aliviar; Comecei a levantar os dedinhos e lamber por baixo, entre eles, na parte de cima, limpeza completa.
Já nessa parte ela nem estava sentindo tantas cócegas, agora já era tesão que ela estava sentindo.
Depois de alguns minutos já fui soltando ela aos poucos e a sacanagem começou…
A partir dessa hora a tortura já havia acabado e então começamos a fazer sexo, o que eu prefiro deixar em sigilo, pois estou postando aqui apenas o fato das cócegas.
Me desculpem, mas eu prefiro assim.
Podem esperar que postarei mais histórias, pois já passei por bons momentos de cócegas em minha vida!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: