Enquanto voce dormia

este mail é meio constrangedor. Estou muito, muito sem graça, mas tenho que te confessar que fiz uma puta sacanagem contigo ontem. Acho que a esta altura você já deve saber do que estou falando. Teu corpo deve ter mostrado as evidências. Eu ontem te comi enquanto você dormia. E sabe o pior? Fico de pau duro só em lembrar. Foi estranho no começo, mas não posso negar que foi extremamente excitante te ter ali, todinha minha, sem objeções.

Lembro que te disse isso ontem, mas repito, você estava linda naquele vestido vermelho. Que decote… Morri de ciúme e tesão ao ver que você atraía todos os olhares da festa. Nunca vi tanto homem junto te secando. Estava poderosa no alto daquela sandália dourada. Sei que foi filhadaputice minha, mas quando entrei em casa depois de guardar o carro e te vi ali, largada na cama, praticamente desmaiada de pilequinho, mal iluminada pela luz da lua… Cara, nem pensei. Caí dentro.

Acho que no começo eu estava bem intencionado, quer dizer… Ah, não sei. Descalcei tuas sandálias e acariciei seus pés, como não percebi a natural puxadinha de pé devido às cócegas, acho que naquele instante maldei e vi uma oportunidade. Passei a língua pela tua sola suada, duvido que você deixasse eu fazer isso, sei que morre de nojo de beijar minha boca quando eu lambo o teu pé, mas você não faz idéia, estava salgadinha, deliciosa. Mamei seus dedinhos um a um, passei a língua pela marca que as sandálias deixaram em sua pele. Mordi suas solas. Nossa… Acho que nunca me dediquei tanto tempo aos seus pés como ontem. Meu pau latejava dentro da cueca.

Preciso te contar que meu primeiro gozo foi em suas solas, mesmo sabendo que você detesta, foi mais forte que eu. Pensei que ia sossegar depois do gozo, mas não. Você parecia uma bonequinha dormindo, não esboçava nenhuma reação. Quando fui tirar seu vestido para que ficasse mais confortável, vi seus mamilos rígidos, empinadinhos e resolvi beijá-los.

Me despi rapidamente e terminei de te despir também. Beijei seus mamilos lentamente, primeiro um, depois outro, beijei os seios, voltei aos mamilos, mamei com vontade. Amor, que delícia você é dormindo. Senti falta dos teus gemidos, você gosta tanto de ser beijada nos seios, mas era uma outra sensação. Eu te abusava, sei que te abusava, mas te descobria, te desvendava. Era uma outra você. Deveria te pedir desculpas, mas só morro de tesão aqui ao lembrar.

Desci pelo seu corpo beijando colo, seios, barriga… E sabe o mais louco? Quando me coloquei entre as suas pernas, pude sentí-la úmida. Molhadinha. Cheguei perto com o nariz e cheirei você, de pertinho. Passava os dedos e observava você meladinha. Você é gostosa demais, teu cheiro, teu gosto me deixaram de pau duro novamente, sem contar que agora, enquanto escrevo, estou em ereção.

Mamei tanto você, tanto… Teu melzinho escorria e eu bebia. Te acariciava. Você podia estar dormindo, de pileque, inconsciente, mas ainda assim, teu corpo percebia todas as minhas intenções e atendia aos meus estímulos. Ousei fazer algo que não sei se devia contar, mas… Você estava tão relaxada, tão melada que eu fui metendo meus dedos devagar. Primeiro um, depois dois, três, quatro… Tudo muito devagar, te lambendo junto, mamando o teu clit durinho. Te fodi com minha mão direita. Amor que tesão. Que tesão!

Aliás, aquilo me endoideceu de uma forma, que você não faz idéia. Vendo minha mão entrar e sair de você imaginei um outro pau, de algum outro homem que te paquerava na festa, e isso me deixou louco de ciúme, tanto, que quando este pensamento invadiu minha mente. Tirei a mão e imediatamente enfiei meu pau em você. Com força, com raiva. Meti meu pau em tua xota enlarguecida. Quanto mais eu te comia, mais tinha raiva de ter pensado que outro podia ter estado ali. Um sentimento louco, meio desconexo, mas que me enchia de tesão. Tive então um pensamento louco. A xota podia até estar larguinha, mas o cu, ah… O cu seria meu.

Te coloquei de ladinho, peguei o gel na cabeceira da cama, besuntei teu cu e meu pau e fui metendo devagar. Ahhhhh… Que sensação gostosa, aquele cu apertadinho, estrangulando o meu pau… Você não demonstrava nenhuma dor, desconforto, nada. Fui invadindo ele devagarzinho, pra você acostumar, enquanto isso te segurava os seios, beijava a nuca, encaixadinho a você. Até aumentar o ritmo e explodir em gozo dentro de você. É amor, eu gozei no teu cu, e nem consigo pedir desculpas, pois foi minha trepada mais louca e também mais gostosa dos últimos tempos. E tudo isso, enquanto você dormia.

Adormeci com meu pau ainda dentro de você, dormimos ali, coladinhos. Acordei, mais cedo, tinha reunião, lembra? Você dormia serenamente, chega se aconchegou mais ao edredon. Antes de sair te dei um beijo e perguntei se você não ia trabalhar, você balbulciou algo como, “hoje não, estou muito cansada”, e virou para o outro lado.

Sinceramente nem sei se devo enviar este e-mail ou se espero chegar em casa para conversar, só sei que agora, neste exato momento, preciso parar o que estou fazendo e correr para o banheiro. Sei que sou um safado inescrupuloso, mas que está morrendo de tesão e precisa se masturbar por você.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: